Turbantes: para quem?


Oficina foi proposta por Mharly Azevedo

 

Desmistificar a crença de que somente pessoas da raça negra devem usar turbantes. Com essa proposta, a Mharly Azevedo, representante do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros (Neab) do Campus São Cristóvão II, vem realizando a oficina de turbantes “Na Mente e na Cabeça: História Cultural e Sociedade”. 


A oficina fez parte da programação dos 178 anos, no Campus Duque de Caxias, no dia 2 de dezembro, e  também já foi realizada no hall da Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Cultura (Propgpec) e no Campus Humaitá I, por ocasião das comemorações pelo dia da Consciência Negra.


Além de ter ensinado aos participantes técnicas para o uso do turbante, Marly Azevedo,  distribuiu prospectos com informações sobre a origem da vestimenta, que data do século VI e faz parte de várias culturas, como a muçulmana, indiana e paquistanesa.


Em São Cristóvão II a oficina foi uma realização do Neab em parceria com o Setor de Pesquisa, Extensão e Cultura (Sepec) e das equipes de História, Desenho, Português, Artes Visuais e Ciências Sociais o Campus São Cristóvão.

 

 

 

Denise Gonring - Coordenadoria de Comunicação Social

 

 

 

 

Acessos Hoje:19071  Total Acessos:17091871